Revisão de norma pretende evitar erros de interpretação no segmento óptico

Escrito por Super User. Posted in Noticias

2

Serão levadas em conta apenas as medidas do tamanho do aro, distância entre as lentes e comprimento da haste.

Revisão feita em 2011 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) na norma de marcação de armações para óculos determina que os fabricantes de óculos e armações devem adotar como padrão apenas as medidas do tamanho do aro, distância das lentes e comprimento da haste, afim de evitar erros de interpretação e facilitar a fabricação do produto.

A antiga norma, de 2004, previa também a inclusão do tamanho da ponte, medida semelhante ao espaçamento entre as lentes, mas o item foi retirado por induzir o profissional óptico ao erro durante o preenchimento das prescrições, já que com novos designs de armações estas medidas não são mais obrigatoriamente coincidentes.

De acordo com Joel Oliveira, coordenador da Comissão de Estudo de Armações do Comitê Brasileiro de Óptica e Instrumentos Ópticos (CB49), a marcação inicial foi usada corretamente por pouco tempo, pois a distância entre as lentes passou a ser chamada de ponte e as medidas passaram a ser utilizadas erroneamente, implicando na produção de óculos corretivos fora do padrão de qualidade mínimo exigido e causando prejuízos à visão do consumidor.

"A norma de gravação foi feita de acordo com a norma ISO 12870:2004 e determina que se deve marcar a distância entre lentes, tamanho dos aros e comprimento da haste. A intenção é evitar erros de cálculos  e atender as necessidades dos laboratórios de montagem, óticas e o consumidor da melhor forma possível, pois as medidas básicas para os cálculos são o tamanho dos aros e distância entre lentes. Além disso, gravar também o tamanho da ponte pode atrapalhar mais do que ajudar, por isto foi abolida esta gravação. É muito bom deixarmos de lado alguns detalhes que geram dúvidas e confusões, fazendo com que as empresas que utilizam as normas  fiquem atentas nas melhorias", explica Joel.

Para Leandro Fleury Rosa, óptico e empresário, o profissional de óptica tem que estar atento a esses detalhes. "A certificação de produtos e processos visa eliminar falhas e reduzir as margens de erro existentes no processo produtivo dos óculos com correção visual", argumenta.

Ainda segundo Leandro, "os profissionais ópticos devem preencher informações técnicas contendo dados da armação, das lentes e do próprio cliente. Com esses dados são iniciados os processos de fabricação das lentes, que dependem das informações da armação, como tipo, material, tamanho da ponte, maior diâmetro de aro, medidas individuais dos clientes como distância naso-pupilar (DNP), altura do centro óptico (ACO), ponto próximo de convergência (PPC), além de dados de refração, e outras medidas e informações importantes", conclui.

De acordo com Ambra Nobre, do Centro Americano para Excelência de Qualidade (Claeq), a atualização da norma já foi revista e está passando por uma consulta pública, que conta com o apoio do Comitê de Estudos de Armações. Nos próximos meses, o novo material já deverá ser publicado.

Sobre a Abióptica - A Abióptica - Associação Brasileira da Indústria Óptica - consolida-se como a mais importante instituição do segmento óptico brasileiro. Com mais de 120 associados e 14 anos de história, a Associação reúne 95% das empresas do setor e acolhe indústrias, fabricantes, importadores e distribuidores - incorporando o varejo e a mídia especializada. A entidade visa à promoção de negócios no segmento e à regulamentação do setor óptico nacional.
Fonte: Press Texto

Contato

41 3049-4909
41 3567-7979

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Rua Pedro Zagonel, 55
Novo Mundo | Curitiba - PR | 81050-110